Altis Grand Hotel

Grill D. Fernando ou o passado como ele deve ser...

Cópia de LF_ALTISGRANDHOTEL-1.jpg

Confesso que sou muito pouco saudosista e olho sempre mais para o presente e futuro, do que vivo agarrada ao passado. Mas, a verdade é que cada vez mais me encanto com espaços que mantêm tradições sem receio de parecerem datados, que nos mostram que afinal a modernidade não é tudo. Um aplauso para eles, que são tão poucos e que cada vez nos fazem mais falta.

O Grill D. Fernando fica no topo do Altis Grand Hotel, no 12º piso. Imagina a vista? Sim, não é? Mas, se fosse só isto...

Antes de avançarmos convém dizer dizer que o hotel completa 45 anos e por essa razão, convida-nos a voltar a 1973, altura em que abriu portas. De que forma? Com um menú, (atenção disponível só até à próxima quinta feira, 31 de Janeiro) que recria o que estava a em vigor na altura. Um luxo, não?

Prepare-se para um cocktail de gambas Neptuno servido comme il faut (€14) uma sopa de cebola gratinada (€7) ou uma sopa de marisco (€9), entre outros. Nos peixes, entre o pregado corado à Gastrónomo (€25), a Garoupa à Algarvia (€28), o linguado à Costa Verde (€36) e o irrepreensível Robado cozido ‘en court bouillon’ (caldo aromatizado), eu optei por este e não me arrependi. Porque numa altura em que a rapidez parece ser o maior trunfo, aqui temos um caldo cuidadosamente preparado onde o robalo é mergulhado para um ponto de cozedura perfeito.

Carnívoros fiquem descansados, porque há costeletas de borrego grelhadas com molho de hortelã (€28), Tornedós D. Fernando (€24), Lombinhos de porco molho de maçã (€18) e as Costeletas de vitela à portalegrense (2pess. €54).

LF_ALTISGRANDHOTEL-17(1).jpg
Cópia de IMG_5403.jpg

É Artur Caldas, chefe de sala, que está no Altis há 17 anos, que desempenha toda a mestria da quase extinta cozinha de sala. É vê-lo a fazer os crepes Suzette e considerar o momento um verdadeiro privilégio!

Além dos imprescindíveis Crepes Suzette (2pess. €19) pode deliciar-se com uma Sericaia com ameixa de Elvas (€8), uma clássica Fatia da China (€8) ou por um Prato de queijos (€14). Também há Fruta da época (€8) ou Pastel de nata (€2).

Cópia de LF_ALTISGRANDHOTEL-27.jpg
Cópia de LF_ALTISGRANDHOTEL-28.jpg

E porque a ideia é fazer viajar-nos no tempo, os cestos do pão, as manteigueiras , bandejas, garfos de mariscos e outros vêm à mesa. É um espólio riquissímo que o hotel tão bem soube preservar durante todo este tempo. Aliás, à entrada do restaurante está disposta uma mesa repleta de pequenas delícias, o menú da altura, os serviços de copos e pratos e talheres e até a bandeja que levava, discretamente, recados de umas mesas para as outras. “Era o Whatsapp da altura” brinca Artur Caldas.


Cópia de IMG_5408 2.jpg
Cópia de IMG_5405 2.jpg

Mesmo ao lado do Grill D. Fernando está o bar S. Jorge que merece uma visita obrigatória.

O espaço repleto de peças do designer português Daciano da Costa (lindas de morrer!) foi atualizado pelo atelier da designer de interiores Cristina Santos Silva. O balcão do bar, com uma pedra de mármore retroiluminada, confere a este espaço um elemento marcante.

As mesas, as poltronas (agora recuperadas) e os candeeiros concebidas por Daciano, mostram bem porque este continua a ser um dos nomes mais marcantes do design português.


GRILL D. FERNANDO

ALTIS GRAND HOTEL Rua Castilho, 11, 12º Andar

Segunda a Sexta das 12.30h às 15h.

Segunda a Sábado das 19.30h às 22.30h.
(encerra sábado almoço e domingo todo o dia )